BlogHoteis.com

Beirute: o que você vai encontrar na bela capital do Líbano

Um destino exótico e fora do mainstream (convencional) dos roteiros de viagem. É mais ou menos assim que podemos definir Beirute, capital do Líbano, país do Oriente Médio, mas que se destaca dos outros países da região por ser mais liberal e ter mais a cara de Ocidente. Um exemplo disso é que dificilmente você vai encontrar mulheres trajando burca no país. Também se engana quem pensa que se trata de um lugar perigoso. A cidade, além de linda, moderna e acolhedora, é também tranquila.

Nesse país, o contraste costuma imperar. Igrejas e mesquitas se encontram lado a lado, com o passado e o presente convivendo pacificamente. Resumindo: Beirute, ao mesmo tempo em que resiste ao tempo, tira muito bem proveito dele.

Outro detalhe importante é que a cidade tem lutado para recuperar seus tesouros entre os escombros deixados por 17 anos de Guerra Civil. Boa parte dos monumentos e de seus prédios históricos foi abaixo graças a bombardeios, explosões e incêndios, sendo reconstruídos desde então.

Neste post, trazemos um overview sobre as principais atrações e os melhores pontos turísticos da cidade para você incluir em seu roteiro a capital libanesa. Aproveite que na Hoteis.com você reserva o seu hotel em até 12 vezes sem juros e sem IOF. Clique aqui e confira as melhores opções de hospedagem em Beirute, no Líbano.

O que fazer em Beirute: pontos turísticos da capital do Líbano
Como ponto de partida para a sua visita a Beirute, não deixe de visitar o Pigeon Rocks, formação rochosa com uma bela vista para o Mar Mediterrâneo. Sim, o Mediterrâneo faz parte da paisagem libanesa e ainda a torna mais deslumbrante. A Solidére Clock Tower, torre construída pelos franceses e que está localizada no coração da cidade, pode ser o início do seu passeio pela área histórica. Ao lado dessa atração estão ministérios, ruínas, uma igreja e a sede do parlamento.

Estando em Beirute, não deixe de visitar o Pigeon Rocks, formação rochosa com uma bela vista para o Mar Mediterrâneo.

Em seguida, siga até o National Museum of Beirut, principal museu do país e que conta com um acervo de mais de 100 mil objetos entre materiais arqueológicos, estátuas e sarcófagos que estão em exposição ao público. E, por falar em museus, não deixe de visitar o Archaeological Museum of the American University of Beirut, para aprofundar o seu conhecimento sobre a história do país. O lugar conserva, por exemplo, vidros fenícios e moedas árabes em seu acervo.

Considerado o coração da cidade, a Praça de Martyr recebeu esta nominação em homenagem aos mártires ali executados durante o domínio otomano. No espaço, é possível visitar o Mausoleum de Rafik Hariri, nomeado assim em homenagem ao presidente assassinado e que abriga ruínas romanas e a Mesquita de Mohammad Al-Amin. O templo, concluído em 2008, possui paredes de cor de areia, cúpulas azuis e quatro mirantes em estilo otomano. Os ornamentos no teto da mesquita são impressionantes. Não é preciso dizer que esse é um dos cartões-postais de Beirute, não?

A Mesquita de Mohammad Al-Amin possui paredes de cor de areia, cúpulas azuis e quatro mirantes em estilo otomano.

Como mencionamos anteriormente, na cidade há várias religiões que convivem bem entre si. A Catedral de St. George Maronita é um dos exemplos dessa pluralidade religiosa em Beirute. A construção do século 18 é inspirada na Basílica de São Pedro, no Vaticano.

Herança de Roma, a região ainda preserva relíquias romanas, dentre as quais estão as Termas Romanas, localizadas em um sítio arqueológico descoberto em 1969, mantido em atividade até 1997. E por falar em relíquias históricas, vale conhecer a Muralha Medieval de Beirute, que servia como proteção para a cidade.

Continuando a nossa rota pelos lugares religiosos, conheça a Mesquita Al-Omari, construída em 1115, como uma igreja católica e que mais tarde foi convertida em mesquita, em 1921. À noite, a construção fica mais maravilhosa ainda com uma iluminação especial. Em seguida, vale dar uma esticadinha até o bairro Hamra, super alegre e badalado. Na sequência, você vai encontrar o bairro de Ras Beirute, que tem como principal ponto de interesse a Universidade Americana.

Para curtir como um habitante local, siga até o Corniche, calçadão que contorna o Mar Mediterrâneo e que abriga boas opções de barzinhos que agitam o lugar. Aliás, se você gosta de baladas, saiba que Beirute tem uma vida noturna agitadíssima. A Rua Monot, no bairro Achrafieh, é um dos points da cidade, com bares e casas noturnas para todos os gostos. O Skybar, localizado no topo do edifício BIEL Complex, é outro ponto que você deve conhecer.

Ah! Outras atrações locais são os super hotéis instalados na cidade. Que tal conhecê-los e, quem sabe, se hospedar em um deles? Os mais luxuosos e que se destacam são: o Intercontinental Le Vendome Hotel, o Intercontinental Phoenicia Beirut Hotel, o Four Points by Sheraton Le Verdun e o Warwick Palm Beach Hotel.

De Beirute, visite outras localidades
Passeios bate-volta e estada em outras cidades devem ser consideradas, pois é impossível conhecer o Líbano apenas por sua capital. As ruínas da cidade de Jbeil, localizada a 38 km de Beirute, é uma boa opção para um passeio de um dia.

Byblos, a cerca de 35 km de distância, também vale a pena ser visitada. A região oferece paisagens incríveis, com um cenário à beira-mar. Logo no caminho, você vai encontrar imagens de tirar o fôlego. Já na cidade, não deixe de conhecer suas igrejas centenárias, experimentar as limonadas locais e ir até as cavernas de estalactites.

A 20 km de Beirute, o belo templo mariano de Harissa, que fica no alto de uma colina, possui um cenário incrível, com vista para as águas azuis do mar. Aproveite a proximidade entre Harissa e a Gruta de Jeita, um complexo de duas cavernas interligadas por um túnel, para visitar esses dois pontos turísticos imperdíveis no mesmo dia.

Consideradas as maiores ruínas romanas intactas, os templos de Baalbek são paradas obrigatórias numa viagem ao país. Os templos estão localizados no antigo território fenício que se tornou romano sob o comando do imperador Augusto. Até hoje, os locais guardam importantes marcas dessa ocupação. O templo de Júpiter é o maior do complexo, com pedras que pesam de 900 a 1400 toneladas. Todas perfeitamente encaixadas e alinhadas.

O templo de Júpiter é o maior do complexo de templos de Baalbek, com pedras que pesam de 900 a 1400 toneladas.

Visitou Baalbek? Que tal dar uma passadinha no Vale do Baalbek? Por lá estão algumas das vinícolas mais famosas do Líbano. As vinícolas do Chateau Kefraya e o Ksara são abertas ao público, servindo almoço e degustação de vinhos aos visitantes nos finais de semana.

E, por falar em vinho, você com certeza, já ouviu falar de Canaã. Trata-se da mesma região mencionada na Bíblia, como o primeiro lugar onde um milagre de Jesus Cristo foi realizado: a transformação da água em vinho. As jarras do milagre ainda estão por lá! Muito próximo a elas, há uma caverna muito bem conservada, protegida pela ONU e reconhecida pelo Vaticano.

Continuando o nosso roteiro pelos lugares bíblicos, próximo a Canaã, visite também as ruínas Sidon e de Tiro, antigas cidades fenícias da costa do Mediterrâneo, localizadas a mais de 80 km de Beirute.

Informações úteis para a sua viagem:

  • A moeda utilizada é a libra libanesa;
  • A língua oficial do país é o árabe, mas o inglês e o francês são duas línguas bem conhecidas;
  • Mesmo sendo uma cidade grande, o transporte público é praticamente inexistente em Beirute. Portanto, táxis comuns e compartilhados acabam sendo a melhor maneira para se locomover pela cidade. Uma regra de ouro: negocie o preço da corrida antes de iniciá-la. Assim, você evitará surpresas desagradáveis, uma vez que os táxis não têm taxímetros;
  • Já, para ir de Beirute a outras cidades, o melhor jeito é de ônibus intermunicipal;
  • Turistas brasileiros não precisam de visto para entrar no país;
  • A regra número 1 para quem viaja ao destino é não ter um carimbo de Israel em seu passaporte. Os dois países, infelizmente, não mantêm relações diplomáticas. Caso você já tenha estado em Israel, troque o seu passaporte para garantir a sua entrada no Líbano. Já, se for passar pelos dois países no mesmo roteiro, visite o Líbano e depois a Israel;
  • O certificado internacional de vacina contra a febre amarela é obrigatório para entrada no país;
  • Tenha em mente sempre pontos de referências, pois as localizações não têm número e o conceito de endereço que estamos acostumados não existe por lá;
  • Gorjetas são bem-vindas e fazem parte dos hábitos locais;
  • Em suas compras, não deixe de barganhar e negociar o preço final dos produtos. Vale lembrar que esta é uma prática válida em outros países do Oriente Médio.

Quer fazer um passeio diferente? Então, embarque para o Líbano livre de preconceitos e confira as belezas desse país. Que tal marcar seus amigos e familiares e programar logo a sua viagem?

Hoteis.com

Adicionar Comentário

Hoteis.com em todo lugar!

Siga a Hoteis.com em todas as redes sociais

Tem um blog e quer fazer uma parceria com a hoteis.com? Escreva pra gente :-)
E-mail: hoteis.com@jeffreygroup.com