Blog Hoteis.com

Conheça a Islândia e veja de perto a aurora boreal

Aurora Boreal na Islândia
Um dos países mais inóspitos, mas também surpreendentemente exóticos e presentes no imaginário de muitos viajantes. Aqui, as paisagens e a atmosfera são tão surreais que vão fazer você se sentir como se estivesse em outro planeta. Assim podemos definir, basicamente, a Islândia.

Viajar para a Islândia e conseguir presenciar a aurora boreal requer muito planejamento e pesquisa por parte do viajante. Confira as nossas dicas!

Na língua inglesa, a ilha recebe o nome de Iceland, cuja a tradução ao pé da letra corresponderia a “Ilha do Gelo”.

Muito embora o nome possa assustar à primeira vista e até criar uma certa rejeição a visita durante o inverno, mais abaixo você irá entender porque os meses mais frios são também os mais mágicos para conhecer este destino impressionante.

Para visitar a Islândia é necessário que você tenha ou esteja com seu espírito aventureiro mais aflorado, uma vez que encontrará adversidades um pouco distintas do que já vivenciou em outras situações, independente de quantos lugares já tenha visitado na vida.

As maiores peculiaridades que o viajante vai encontrar ao chegar até a Islândia começam pela direção dos veículos na mão inglesa e pelo clima totalmente instável e imprevisível. Por isso, um bom planejamento antes de sua viagem e muito ânimo são imprescindíveis para que ela seja bem-sucedida. O melhor jeito de percorrer todos os pontos de interesse do país é por via terrestre e alugando um carro.

Não importa em qual época do ano será a sua viagem: vai ventar, chover e nevar. Inclusive, haverá dias em que todos esses fenômenos climáticos irão acontecer em apenas 24 horas. Mas não se deixe abater por esses perrengues.

Visitar a Islândia vale a pena. E muito! Prepare-se para se impressionar com o quanto a natureza foi generosa ao criar esse lugar.

Reserve o seu hotel na capital da ilha da Islândia, em até 12 vezes sem juros e sem IOF, aqui.

O que conhecer na Islândia
Basicamente, cerca de 90% das atrações locais tem alguma ligação com a natureza estonteante do lugar. Comece sua aventura pela capital do país, Reykjavik – lê-se Raijavique-, cidade super bem cuidada, limpa, bonita e que comporta quase a metade de toda a população do país. Aproveite para visitar muitos museus, galerias, lojas ultra descoladas, parques, e, claro, a Casa da Ópera ou Harpa, que tem uma arquitetura peculiar com fachada envidraçada.

Vík é um minúsculo vilarejo de pescadores ao sul da Islândia, que fica em um cenário que parece uma obra de arte

Um passeio que é um dos principais para quem vai a Islândia é a visita até a Lagoa Azul – ou Blue Lagoon -, que é um verdadeiro spa de águas geotermais. Localizada a cerca de 45 minutos da capital do país e sob um campo de lava, acumula 6 milhões de litros de água do mar, rica em sílica e outros minerais e com temperaturas que variam entre 37 e 39 graus Celsius.

No centro-norte do país, planeje uma visita ao maravilhoso Lago Myvatn, com suas águas de tonalidade azul turquesa. No verão, é possível curtir um banho natural noturno neste lago, que fica aberto até a meia-noite, uma vez que este horário ainda é dia na Islândia!

Aqui, o lugar é bem menos comercial e mais roots do que a famosa Lagoa Azul. Além disso, você vai poder andar pelas formações vulcânicas e visitar uma gruta subterrânea preenchida por uma água bem quente e bem azul. Nesta região, o visitante também encontrará o Dettifoss, simplesmente a cachoeira com água mais potente de toda a Europa. O lugar é tão impressionante que foi cenário para o filme “Prometheus”, lançado em 2012. O caminho para chegar lá é um pouco complicado, mas vale a pena. Não deixe de visitar, no centro do país, a cachoeira de Godafoss que, com suas águas azuladas e de fácil acesso, é considerada uma das mais belas de toda a Islândia.

Já no extremo norte da Islândia, está o Parque Nacional Asbyrgi que significa, na língua local, “Refúgio dos Deuses”. Pelo nome, já espere por um lugar de uma beleza de tirar o fôlego. No entorno, você vai se deparar com um grande cânion em formato de ferradura, formado durante a era glacial. Abaixo do cânion, é possível avistar um lago com águas em tons de esmeralda. Tudo isso é possível de ser visto após percorrer um caminho por um bosque com uma vibe bem mística. Nesta ponta da ilha não deixe de conhecer o vilarejo de pescadores Húsavík, um lugar bem charmoso com um cenário repleto de montanhas e de onde partem os barcos para observar as baleias em alto mar.

Não pense que as atrações terminam por aqui. No sul do país, há uma grande concentração de lugares e pontos turísticos que valem a pena conhecer. A Laguna dos Icebergs é um lugar que você DEVE visitar na Islândia, por ser um passeio imperdível e absolutamente lindo. Você pode passear pelo lago tanto em barcos convencionais, como em botes. Aqui, o nome do país faz todo o sentido e você ficaria bem pertinho dos icebergs e poderá vê-los se deslocando em direção ao oceano.

Vík, também no sul do país, é um minúsculo vilarejo de pescadores, em um cenário que parece uma obra de arte.

Não deixe de ver de pertinho as praias com areias escuras devido à atividade vulcânica e de observar toda a riqueza da fauna que se encontra por lá: um trio de cachoeiras super bacanas para admirar: Seljalandsfoss, Gljúfrabúi e Skógafoss.

A primeira delas possui 50 metros de altura, sendo famosa por proporcionar a possibilidade de o visitante passar por trás dela. Já a segunda fica escondida atrás de um paredão rochoso com uma fenda entre as rochas. A última fica na simpática cidade de Skogar, que lembra muito o vilarejo dos hobbits, em “O Senhor dos Anéis”. Seu formato é de véu de noiva, com queda de 60 metros de altura.

E por último, mas não menos importante: vale dar uma esticada até o chamado “Círculo Dourado”, onde estão Geyser, Gullfoss e o Parque Nacional Pingvellir, que são lugares que dá para visitar em apenas um dia, devido à proximidade entre eles. A região dos geysers é bem legal para ver a água quentinha brotando do chão, mas esteja preparado para o forte cheiro de enxofre que encontrará por lá. Já o parque é simplesmente o mais visitado de toda a Islândia. A sua cachoeira é bonita e recomendamos que a sua visita seja antes de ir às demais que mencionamos anteriormente para não perder a graça.

Informações úteis para aproveitar a aurora boreal na Islândia
Um dos fenômenos mais incríveis da natureza é, sem dúvida, a aurora boreal. Mas você sabe como ela se forma e por que acontece? Pois bem, o fenômeno é ocasionado por partículas emitidas pelo sol que, ao se aproximarem da Terra, colidem no campo magnético e são puxadas para os polos do planeta.

Tais partículas entram na atmosfera, colidem e formam as auroras boreais no Polo Norte. Dentre os lugares do hemisfério norte onde é possível visualizar este espetáculo estão países como a Finlândia, a Noruega, a Suécia, o Alasca, o Canadá e, claro, a Islândia, que destacamos hoje.

Muita gente se engana ao pensar que basta viajar para algum país que faça parte do chamado Círculo Polar Ártico para presenciar a aurora boreal. Isso porque não é possível ter certeza de quando o fenômeno acontecerá, uma vez que é impossível controlar a natureza e as condições climáticas.

Devido ao distanciamento do polo magnético da Terra, a aurora boreal passa sobre a Islândia. Junte este belo fenômeno com as belezas naturais da Islândia, que tem boa parte de seu território no Círculo Polar Ártico, e imagine o quão inesquecível será a sua experiência. Quem já presenciou o fenômeno diz que a emoção é única e que é um verdadeiro festival de cores no céu que ilumina os cenários surreais desta ilha mágica.

Ir até lá não é garantia de que você irá ver o fenômeno enquanto estiver conhecendo o país. Viajar para a Islândia com o intuito de ver a aurora boreal requer muito planejamento e um roteiro muito bem elaborado, com muita pesquisa com base em gráficos meteorológicos e geotérmicos por parte do viajante para que suas caçadas noturnas às auroras não sejam em vão.

A empresa Icelandair lançou uma previsão de até três dias em que são informadas as chances do turista observar o fenômeno com base no índice KP, indicador que auxilia no monitoramento das atividades geotérmicas do planeta.
As melhores épocas para visualizar o festival de cores dançando pelo céu da Islândia vai de setembro a abril, período que corresponde aos meses de inverno no hemisfério norte. Há quem diga que as chances de assistir ao espetáculo entre os meses de novembro e abril são maiores.

Inclusive, pensando neste grande atrativo local para os turistas, Sif Gustavsson, ex-diretora do Conselho de Turismo da Islândia, teve a ideia de aproveitar a temporada de caça a este fenômeno para inserir o slogan “temporada da Aurora Boreal” em referência aos longos meses de inverno. A mudança de approach fez com que o medo dos turistas em enfrentar a grossa camada de gelo do país cedesse lugar ao desejo de ver as luzes radiantes se movendo nos céus.

Contudo, Gustavsson alerta para a necessidade de ter paciência para presenciar a aurora boreal. Por isso, há a recomendação de que o turista permaneça alguns dias – cerca de quatro ou cinco, mais precisamente – no interior do país, sempre tendo em mente que o litoral sul e o extremo leste da Islândia são bons lugares para ver as luzes.

Embora não seja o recomendado, caso você precise definir sua viagem ao destino de última hora, fique atento ao índice KP em 5 ou mais, pois isso aumentará suas chances de ver a aurora boreal.

Preparado para curtir todas as paisagens incríveis deste país fantástico? Marque nos comentários quem você levaria para curtir a aurora boreal com você!

Equipe Hoteis.com

Adicionar Comentário

Hoteis.com em todo lugar!

Sigue Hoteles.com en todas las redes sociales

Tem um blog e quer fazer uma parceria com a hoteis.com? Escreva pra gente :-)
E-mail: hoteis.com@jeffreygroup.com