BlogHoteis.com

Conheça Petrópolis

Sou apaixonado por Petrópolis. Morei lá por 7 anos, devo ter sido alemão na encarnação passada. A cidade de Petrópolis, localizada na região serrana do Rio de Janeiro, foi a primeira cidade planejada do país, erguida a partir do projeto urbanístico do alemão Julio Köler, nas terras herdadas por Dom Pedro II, entre as montanhas e emoldurada pela Mata Atlântica.

Na verdade, as terras foram originalmente adquiridas por seu pai, Dom Pedro I, que em suas andanças pelos caminhos do ouro, hospedava-se na fazenda do Padre Correa e ficou encantado pela paisagem e o clima da região.

Apenas em 1843, Dom Pedro II mandou construir ali o Palácio de Verão e o assentamento de um povoado. A partir daí, a família Imperial passou cerca de 40 verões em *Petrópolis, tornando-a assim, uma referência do Império. Só em 1857 foi elevada a condição de cidade e a primeira rodovia pavimentada do Brasil (União Industria – BR040), foi inaugurada ligando a  Cidade Imperial a Juiz de Fora.
*(o nome vem da junção da palavra latina Petrus (Pedro) com a grega Pólis (cidade) = Petrópolis)

Como chegar em Petrópolis?
O acesso a Petrópolis, a partir do Rio de Janeiro, é feito através da rodovia Washington Luiz (BR-040) – Pedágio R$ 12,40. A viagem de aproximadamente 1h e 15 minutos, começa na Av. Brasil, passa pelo município de Duque de Caxias e tem quase 30 minutos de subida por serra através de um cenário magnífico da Mata Atlântica. Vale uma parada no Mirante do Cristo, para apreciar a floresta, e outra na chegada à Petrópolis para um lanche na Casa do Alemão.

A cidade vive da indústria e comércio de malhas, chocolates e cervejas (em Petrópolis estão estabelecidas as Cervejarias Bohemia e Itaipava), do grande movimento turístico histórico de Petrópolis / Itaipava e regiões, que contam com uma grande variedade de pousadas e hotéis, alguns de redes internacionais, da produção agropecuária (frutas principalmente)  e pequena participação industrial (destaque para a GE e a fábrica de lentes Alemã Carl Zeiss). Outras marcas também possuem sede na cidade, como a rede de produtos naturais Mundo Verde e a fábrica de chocolates Katz (Petropolitanas de nascimento).

Petrópolis possui um acervo arquitetônico sem igual, o Centro Histórico começa no Palácio Imperial de Dom Pedro II (hoje Museu Imperial), a Catedral de São Pedro de Alcântara, a Casa onde viveu a Princesa Isabel (defronte à catedral), a avenida Ipiranga que tem suas casas tombadas pelo IPHAN e muitas vezes servem de cenários para produções de época, a avenida Koeler e seus casarões do século XIX, a fachada da Universidade Católica com o seu relógio das flores, a Encantada (casa de Santos Dumont) com sua excêntrica arquitetura e famosa pelos degraus alternados, o Palácio Rio Negro (residência oficial de verão dos presidentes da República), o Trono de Fátima, que é um ponto de orações e um mirante da cidade, o Palácio de Cristal (que teve sua estrutura de ferro importada da França pelo Conde D’eu – marido da Princesa Isabel) e tantos outros pontos turísticos que contribuem para a importância histórica e  beleza da cidade.

A colonização de Petrópolis foi formada por um mix de culturas europeias. Algumas fugindo de guerras ou dificuldades econômicas, em seus países, e outros pelo mero acaso de aportarem em nossas terras, em transito para outros países a procura de oportunidades, e se encantarem por nosso clima e belezas tropicais.

O povo Alemão foi um dos primeiros a chegar, na metade dos anos de 1800 e tiveram uma participação mais efetiva na construção da cidade. Os colonos abriram estradas construíram residências, hortas de subsistência, prédios do povoado e obras públicas. A fim de que pudessem se sentir mais a vontade e mais próximos de sua cultura, muitos lugares de Petrópolis foram batizados com nomes de suas regiões de origem como Bingen, Siméria, Mosela, etc.

Na sequência, temos ainda a colaboração dos colonos Portugueses, Franceses, Italianos, Ingleses, Suíços, Belgas e Libaneses formando um caldeirão étnico que originou o povo Petropolitano.

A Bauernfest, que celebra a participação da Cultura Alemã na colonização da cidade, marca o início das programações de inverno e a alta temporada na região, que incluem festivais gastronômicos nos restaurantes da cidade e de Itaipava, festivais de música e etc.
O portal de informações turísticas da Cidade de Petrópolis possui as datas e programações: www.destinopetropolis.com.br.

Petropolitanos famosos: Santos Dumont, Stefan Zweig (escritor), Rodrigo Santoro (ator), Camila Morgado (atriz), Fiorella Matheis (atriz), Dom Pedro de Alcântara (filho primogênito da Princesa Isabel), Magda Tagliaferro (pianista), entre outros.

O que visitar em Petrópolis?


Casa do Barão de Mauá – palacete em estilo neoclássico, datado de 1854, que pertenceu ao Barão de Mauá responsável pela criação da primeira ferrovia do Brasil.
Localização – Praça da Confluência, 3 – Centro. Aberta de segunda a sábado de 9 às 18h e domingos das 9 às 15h;

Palácio Quitandinha  – foi construído em 1944 para ser um grande cassino, porém com a proibição dos jogos no Brasil, tornou-se um hotel de luxo. Hoje, a bela construção em estilo normando é usada para festas, eventos e conferencias.
Localização: Av. Estados Unidos, 2 – Centro – próximo ao pórtico de entrada da cidade. Aberto de terça a domingo das 9 às 15h – oferece visitas guiadas;

Palácio Imperial – casa de verão da família imperial, datada do século XIX. O interior abriga mobiliário da época e peças de valor artístico e os jardins são muito bonitos. Um atrativo a mais na visita, são os chinelos de feltro, utilizados pelos visitantes para não arranhar o assoalho original.
Localização: Rua da Imperatriz, 220 – Centro. Aberto de terça a domingo e feriados das 11 às 17h;

Palácio Rio Negro – residência que já foi sede do Governo do Estado do Rio de Janeiro, hoje é residência de verão da Presidência da República. Sua construção data de 1880.
Localização: Av. Koeller, 255 – Centro. Aberta de quarta a domingo das 9:30 às 17h;

Trono de Fátima – local de oração construído em 1947. Funciona também como um mirante da cidade.
Localização: Rua Bispo Dom José s/n.  Aberto todos os dias das 7 às 18h;

Relógio das Flores – foi construído em 1972, no jardim do prédio onde funciona atualmente, a Universidade Católica de Petrópolis. A construção, datada do século XIX, foi originalmente concebida e utilizada como um hotel. O prédio foi vendido para a universidade em 1956.
Localização: Rua Barão do Amazonas, 124 – Centro. O prédio esta aberto para visitações de segunda a sexta das 8 às 22h;

Casa de Santos Dumont – a “Encantada” como é conhecida, é um chalé ao estilo dos Alpes Franceses, usada como casa de verão de Santos Dumont. Famosa pela excentricidade de sua arquitetura, esta localizada ao lado do prédio da Universidade Católica.
Localização: Rua do Encanto, 22 – Centro. Aberta de terça a domingo das 9:30 às 17:30h;

Palácio de Cristal – é uma réplica do Crystal Palace de Londres. Sua estrutura foi importada da França pelo Conde D’eu. A construção datada de 1879, é utilizada hoje como Centro Cultural. Nos seus jardins e nas ruas ao redor é realizada anualmente a Bauernfest (Festa do Colono Alemão).
Localização: Rua Alfredo Pachá – Centro. Aberto de terça a domingo das 9 às 17h;

Catedral de São Pedro de Alcântara – em estilo neogótico Frances, guarda os restos mortais de Dom Pedro II, da Princesa Isabel e de seu marido, o Conde D’eu. Teve sua construção iniciada em 1844, porém demorou um pouco mais de 50 anos para ficar pronta. Possui belíssimos vitrais e mobiliário original.
Localização: Rua São Pedro de Alcântara, 60 – Centro. Aberta de terça a sábado das 9 às 18h e domingos das 8 às 18h. Fecha para almoço;

Cervejaria Bohemia – fundada pelo Alemão Henrique Kremer em 1853, foi a primeira cerveja pilsen produzida no Brasil. O prédio, de estilo neoclássico e  tombado pelo IPHAN, abriga um museu bastante interessante sobre a história da cerveja e possui um restaurante anexo. Fica bem próximo ao Palácio de Cristal.
Localização: Rua Alfredo Pachá, 166 – Centro. Aberto para visitas guiadas de terça a quinta das 13 às 16:30h, sextas das 10 às 16:30h, sábados e domingos das 10 às 18:30h.

Se bater aquela fome, após toda esta caminhada, passe na Casa D’angelo.  O restaurante/chopperia que completou 100 anos no final do ano passado, é um local tradicional na cidade.
Localização: Rua do Imperador, 700 – Centro. Aberto todos os dias até a 1h da manhã.

Quanto a sobremesa, não deixe de experimentar os doces da Confeitaria Willemsen, a alguns passos da Casa D’angelo.
Localização: Rua 16 de Março, 134 – Centro. Aberta diariamente das 10 às 19:30h.

Quais são os melhores hotéis de Petrópolis?
Ambos os hotéis estão localizados no Centro Histórico. Já me hospedei no Hotel Solar do Império.


O palacete em estilo neoclássico foi construído no século XIX e já hospedou a Princesa Isabel e o seu marido, Conde D’eu, quando o Palácio Isabel estava em reformas. O casarão de dois pavimentos e quase 2 mil metros quadrados, tombado pelo IPHAN, possui jardins encantadores, um lago e 4 estátuas que representam as 4 estações do ano. Antes de ser um hotel boutique, o palacete passou alguns anos como residências e salão de festas.

Recomendo a visita ao hotel Grande Hotel Petrópolis – construído em 1930, o  prédio de 5 andares, foi considerado o mais alto da av. XV de Novembro e o único que possuía elevador. O hotel, que serviu de palco para grandes eventos e bailes, ficou fechado por 45 anos e reabriu em 2011, completamente restaurado.

Por Marcelo Góes, do site Goes Where?

Marcelo Goes

Adicionar Comentário

Hoteis.com em todo lugar!

Siga a Hoteis.com em todas as redes sociais

Tem um blog e quer fazer uma parceria com a hoteis.com? Escreva pra gente :-)
E-mail: hoteis.com@jeffreygroup.com