BlogHoteis.com

5 dicas do que fazer (e não fazer) na Cidade do Cabo, África do Sul

Fernando Borsatto, Social Media & PR da Hoteis.com no topo da Table Mountain

Sempre fui fascinado por cidades grandes e o que cada uma pode oferecer. Mas foi no meio da minha rotina que decidi que precisava me permitir fazer uma daquelas viagens surpeendentes que pudessem mesclar natureza e as facilidades de um grande centro urbano. E foi aí que fiquei fixado na ideia de ir para a Cidade do Cabo e finalmente botar os meus pés na África do Sul, apelidada hoje de ‘Rainbow Nation’ (Nação Arco-Íris) após a consolidação das eleições democráticas com o término do apartheid.

Passei 9 dias nesse lugar fascinante que me proporcinou as mais lindas cores no céu a cada pôr-do-sol que presenciei. Aqui vão as minhas 5 dicas do que fazer – e não fazer – na Cidade do Cabo:

5 Boas Ideias para quando você estiver na Cidade do Cabo

Robben Island & District 6 Museum

Robben Island é uma ilha de fácil acesso por meio do V&A Waterfront, um complexo comercial bastante turístico com um shopping, lojas e restaurantes. Você compra um bilhete para pegar um barco e até a ilha onde Nelson Mandela e seus companheiros ficaram presos por aproximadamente duas décadas. Você fará um tour pelo local e vai entender como era a vida na ilha durante apartheid e também nos dias de hoje. Quando fui, um guia ex-prisioneiro contou com detalhes o que viveu e inclusive mostra a cela onde o admirado ex-presidente da África do Sul ficava. Muitas questões são levantadas sobre as dificuldades que o país passou (e ainda passa) quando o assunto é igualdade social. Como complemento, sugiro também visita no gratuito District 6 Museum que fica no centro em uma região onde muitas famílias foram forçadas a sair de suas casas. Considero essas atrações imprescindíveis porque você passa a ver as coisas na cidade com outros olhos e faz você entender um pouco mais do apartheid fora dos livros de História.

Subir as icônicas Table Mountain e Lion’s Head

Não tem como ir à Cidade do Cabo e não ir ao topo da Table Mountain, que pode ser vista de todos os cantos da cidade. Quem estiver disposto pode subir a montanha por meio de uma trilha bem longa (separe uma manhã ou tarde inteiras), mas no meu caso eu fui preguiçoso, peguei um carro e subi até onde pude e de lá continuei de bondinho. A vista de cima da montanha é de tirar o fôlego, o pôr-do-sol é insano de lindo e conforme vai anoitecendo, as luzes da cidade começam a tomar conta e dividir o cenário com as estrelas. Imagens não podem descrever o que é isso ao vivo.

Pôr do sol. Vista da Table Mountain.

Você também pode subir a Lion’s Head, mas aí precisa ser a pé. Muitos consideram uma trilha fácil, mas não achei tanto assim – é bastante íngreme. A vista é diferente da Table Mountain e é uma opção para quem curte trilha e vistas espetaculares.

A Lions Head fica assim ao anoitecer

 Alimentar o corpo e a alma no Old Biscuit Mill

Todos os sábados o complexo de Old Biscuit Mill abre porta para artistas, eventos e um mercado onde você pode provar comida do mundo todo por um preço justo. Tudo o que comi estava simplesmente delicioso. Não tem nada de frescura: você pega a sua comida e senta em uma das cadeiras disponíveis ou no chão mesmo – porque o lugar lota! Você também pode fazer uma tour do chocolate e aprender como o doce é feito desde a torra da semente do cacau. A vibe do lugar é muito boa que mesmo se você não quiser comprar nada, vale a pena ir simplesmente para almoçar ou tomar alguma bebida enquanto troca ideia com gente do mundo todo enquanto algum DJ ou música toca um som bacana. Ah, para os amantes de café como eu, no complexo também tem o Espresso Lab, o melhor café que provei na Cidade do Cabo – que é repleta de excelentes cafeterias (procure pelo premiado Truth Coffee que fica no centro, que já foi eleito várias vezes como a melhor cafeteria do mundo!). No Old Buiscuit Mill, espere por uma concentração dos hipsters da cidade. Para mim, foi um dos picos da viagem e me fez querer que todos os dias fossem sábado!

Curtir as praias Camps Bay e Muizenberg

São duas opções de praia diferentes.

Como falar sobre Camps Bay usando referências mais conhecidas? Bom, é uma praia linda com diversos bares e restaurantes em uma atmosfera animada tipo Miami – só que na minha opinião muito, mas muito mais bonita, sem sombra de dúvidas. É um dos bairros mais ricos de Cape Town por conta da visão privilegiada do mar e dos Twelve Apostles, uma formação de picos de montanha lindíssima que faz a sua foto de celular ficar com aquela pegada meio ‘National Geographic’ principalmente quando o sol se põe tipo a foto que tirei abaixo. É um excelente bairro para aproveitar uma praia, comer e beber bem por um preço legal. Curti tanto Camps Bay que passeio por lá pelo menos 3 vezes!

Camps Bay e um pedacinho do Twelve Apostles

Muizenberg é um subúbio na beira do mar há mais ou menos 25km do centro da Cidade do Cabo. Sem trânsito levou 40 minutos para chegar lá de carro e eu achei a praia linda. É um dos pontos favoritos dos surfistas da cidade e uma das características do local são as casinhas coloridas onde os surfistas se trocam antes de pegar onda. É bem diferente de Camps Bay, que tem uma pegada mais agitada, como eu disse. Em Muizenberg senti um lugar ideal para relaxar longe da loucura do centro. Vale  muito a pena pelo menos uma manhã ou uma tarde lá – confesso que fiquei com vontade de passar alguns dias para descansar mesmo! Fica para a próxima.

Praia de Muizenberg

Visitar ao menos 1 das várias vinícolas da região

A África do Sul também é conhecida por sua produção de vinhos. Você pode fazer um dos diversos tours de vinho por Stellenbosch: mas prepare-se para começar a beber desde muito cedo! Pelo menos aconteceu assim comigo quando fechei uma das várias excursões de meio dia que você encontra facilmente na rede.

Mas se você não pretende ficar metade do dia provando vinhos como eu fiz, também é possível visitar vinícolas  separadamente. Eu recomendo a Groot Constantia Winery, que fica perto do centro e oferecem uma curiosa e deliciosa degustação de vinhos com chocolates além de opções para almoço em meio a vinhedos. Revigorante e delicioso ao mesmo tempo. Ah – por favor, não deixe de provar a pinotage, a uva exclusiva da região que faz um vinho gostoso que desce bem, bem levinho! Made in South Africa! Mesmo se você não curte vinho, vale a pena a visita porque aqueles vinhedos com montanhas ao redor fazem muito bem aos olhos, como você pode ver na foto que tirei abaixo.

Groot Constantia Winery

5 Não Tão Boas Ideias para quando você estiver na Cidade do Cabo

 Andar pela cidade depois que escurece

A Cidade do Cabo é muito linda, organizada e limpa. De uma forma bastante superficial, é um pouco como se a Europa estivesse dentro do Rio de Janeiro. Apesar de ter muito o que fazer à noite, as ruas ficam vazias a partir do momento que começa a escurecer. Não tem um horário específico, você meio que percebe porque conforme a noite chega, as ruas vão ficando realmente vazias. É até um pouco chocante, pelo menos para mim que sou de São Paulo e vejo gente andando na rua de noite normalmente. Conversei com muita gente de lá e perguntei por que isso acontece e sempre me relembravam que como visitante eu poderia estar vulnerável andando sozinho à noite e em algumas áreas da cidade. Fique tranquilo que durante o dia eu não me sentia em perigo, mas à noite confesso que fiquei um pouco intimidado. No entanto, isso não significa que você tenha de se trancar no hotel até o dia seguinte: há taxis por toda cidade e eu usava facilmente o Uber. Uma vez que você se locomove de carro à noite, você está seguro. Aí é só curtir os deliciosos restaurantes, bares e baladas!

Exibir pertences, principalmente no centro

Apesar de ser uma das cidades mais seguras da África do Sul, sugiro evitar desfilar pelas ruas com seus pertences mais caros em Cape Town, principalmente pelo centro que é mais movimentado. Evite andar com jóias e itens que possam chamar muito a atenção. Essa é uma dica que serve para qualquer outra cidade grande, na realidade. Fique sempre de olho nos seus documentos e celulares e não marque bobeira. Enfim, lembre-se que apesar de ser um dos destinos mais lindos do mundo, há problemas sociais assim como no Brasil. Atitudes assim evitarão frustrações desnecessárias e você vai curtir sua estada na Cidade do Cabo por completo, assim como eu.

Esquecer de dar gorjetas aos garçons

Assim como em alguns lugares do mundo, como nos EUA, não é educado quando você não deixa gorjeta para os garçons. 10 a 15% é o padrão mas se o serviço for excepcional, bora caprichar! Comer na Cidade do Cabo é baratinho, então por que não praticar a gentileza? Você não precisa dar gorjetas em fast-foods ou lugares que você pede comida ou bebida para viagem.

Não provar algum prato local

É fato – o que mais tem na Cidade do Cabo é comida internacional. Mas a comida local também é deliciosa. Um dos pratos que comi e gostei bastante é o bobotie, que é basicamente carne moída com passas feita em um molho agridoce (usam geleia de alguma fruta, muitas vezes tamarindo) e depois fazem uma mistura com ovos e gratinam. É bem temperadinho e servem com arroz. É uma dessas comidas de casa bem fáceis de fazer, que agrada a maioria e os temperos que usam são diferentes do que usaríamos na carne moída aqui.

Como outra dica, um petisco que comem bastante lá é o biltong, uma espécie de carne seca curada, bem temperada com pimentas variadas, sal e algum ingrediente ácido tipo vinagre ou limão. Você acha biltongs de todos os tipos, desde frango até carne de caça como cudo ou mesmo avestruz. Achei os biltongs de carne de caça de sabor muito forte, mas tem os que amam e os que odeiam. São excelentes petiscos se combinados com um bom vinho sul-africano.

Bobotie é um prato sul-africano com carne moída em molho agridoce e servido com arroz

Feirinhas de artesanato e a chata insistência dos vendedores

Tem muitas coisas lindas nas feiras de artesanato locais. Uma das feirinhas mais conhecidas é a Greenmarket que fica no centro. Mas se você espera que vai ver os itens tranquilamente e de boa até escolher o que quer comprar, é aí que se engana. Os vendedores são bastante insistentes e até vão atrás de você para pechinchar preços, principalmente se você tem cara de turista. Então vá com paciência e muita disposição para negociar e rands no bolso (moeda local). Uma amiga conseguiu diminui o valor de uma consideravelmente só na lábia. Uma coisa que você aprende é que os itens não têm preços fixos, eles variam de acordo com o que o vendedor julgar. De qualquer forma, ir para uma feira de artesanato é bacana não só porque você pode comprar itens muito bacanas e ver referências interessantes de arte, mas também porque você está contribuindo com os vendedores locais e suas famílias.

Espero que tenham gostado das minhas dicas. Obviamente tem muita coisa a mais para fazer e recomendar mas essas para mim foram especiais. Continue acompanhando o nosso blog, porque vamos recheá-lo de dicas de hotéis e destinos a partir da experiência dos nossos colegas da Hoteis.com, todos loucos por viagem!

Acompanhe outras dicas de funcionários da hoteis.com no Brasil e no mundo no Instagram, procurando pela hashtag #WeWhoTravel > http://www.instagram.com/hoteispontocom

Fernando Borsatto

5 Comentários

    • Boa, Marcel! Depois conte para a gente se você fez alguns dos itens da nossa lista e se adicionaria algum outro. Abraço!

  • Yes, the photos were all taken by a Samsung S7, actually. Chapman’s Peak is also on everyone’s top items to do in Cape Town but unfortunately I was not able to do it but I know views are breathtaking. I’m happy you enjoyed the post.
    Fernando Borsatto

Hoteis.com em todo lugar!

Siga a Hoteis.com em todas as redes sociais

Tem um blog e quer fazer uma parceria com a hoteis.com? Escreva pra gente :-)
E-mail: hoteis.com@jeffreygroup.com