BlogHoteis.com

Top 5 parques nacionais brasileiros

De Foz do Iguaçu a Fernando de Noronha: os melhores parques nacionais do Brasil

Trilhas, corredeiras, cachoeiras, lagoas de águas cristalinas e muito verde. Amantes da natureza costumam curtir a experiência de visitar um parque nacional. E, aqui no Brasil, temos muitas opções de lugares para satisfazer o espírito aventureiro dos viajantes.

Antes de conferir a nossa lista com os 5 tops destinos de parques nacionais brasileiros, saiba que essas são áreas de preservação ambiental e que, devido à riqueza da fauna e da flora, precisam de cuidados específicos para evitar que os seus ecossistemas desapareçam. As cataratas do Iguaçu, a ilha de Fernando de Noronha e a chapada Diamantina são alguns exemplos de lugares paradisíacos e que são preservados no Brasil.

Uma dica legal para quem está programando uma viagem com foco no ecoturismo, mas que busca um pouco de conforto nas suas acomodações, é reservar o seu hotel no site da Hoteis.com.

1. Fernando de Noronha, Pernambuco

Um dos lugares mais bonitos do Brasil, Fernando de Noronha é um sonho para muita gente. E não é para menos.

Vivenciar esse destino justifica todo o seu hype. Belas paisagens, praias de tirar o fôlego e uma riquíssima vida marinha são apenas alguns dos atrativos desse destino considerado um verdadeiro paraíso. No total, o arquipélago conta com 21 ilhas e ilhotas em 7 mil km de litoral. Com sua beleza inquestionável, o Parque Nacional Marinho de Fernando de Noronha merece todos os adjetivos. Ele corresponde a área de 11,270 hectares de proteção das espécies que vivem na ilha.

Aproveite cada mergulho na Baía dos Porcos e na Baía do Sancho. E, quem sabe, até não rola nadar entre os pequenos tubarões e tartarugas?! Nas ruínas das fortalezas, herança da época em que Fernando de Noronha abrigava uma prisão militar, contemple um pôr do sol que mescla o alaranjado dos raios solares com o azul esverdeado da água do mar.

parques nacionais
A Baía dos Porcos é um dos cartões-postais de Fernando de Noronha.

Em uma visita ao paraíso, esteja preparado para tirar muitas fotos. Os melhores pontos para isso ficam na vila dos Remédios, no morro do Pico, nas praias do Meio e da Conceição, e no morro Dois Irmãos.

Para manter a preservação de seu território, o acesso até a ilha é controlado, com pagamento de taxa de conservação do meio ambiente de acordo com o tempo de estada do visitante.

E, afinal, quando é a melhor época para visitar a ilha? De março a junho, período mais chuvoso, as diárias das pousadas e hotéis ficam mais em conta. Os meses de setembro e outubro são ótimos para quem deseja mergulhar. Já o período de dezembro a fevereiro é excelente para aproveitar as ondas e surfar.

Existem duas maneiras de chegar até Fernando de Noronha: saindo de Natal ou de Recife. Ambas são por avião.

2. Amazônia, Itaituba, Pará

Achou que não falaríamos do ecossistema mais rico do mundo? Claro que não poderíamos esquecer do Parque Nacional da Amazônia e de todos os atrativos que a natureza da região dispõe ao turista. O parque fica em Itaituba, no Pará, sendo o destino ideal para quem busca um turismo ecológico nível hard. Com área de 945.851,00 de hectares, poucos lugares no mundo oferecem uma imersão na natureza tão intensa e marcante quanto a Amazônia.

Os atrativos aqui não são poucos. O visitante poderá observar pássaros e animais silvestres em seus habitats naturais, conhecer espécies de plantas e vegetais únicas desse ecossistema, praticar trilhas na floresta, andar de barco pelo rio e se refrescar nas águas esverdeadas do Tapajós. E, por falar em Tapajós, vale a pena conferir também o encontro entre esse rio e o rio Amazonas, um espetáculo que você deve ver ao menos uma vez na vida.

Como o foco aqui é a observação da biodiversidade, os meses mais indicados para uma visita ao Parque Nacional da Amazônia é entre julho e dezembro, quando a quantidade de chuvas é menor.

parques nacionais
O Parque Nacional da Amazônia é o mais importante do Brasil.

Para chegar até o parque, há três maneiras. A primeira é seguir de avião até Itaituba, em voos da Azul. Outro jeito é pela rodovia Transamazônica, de Santarém até Rurópolis e de Rurópolis até Itaituba. O último meio é mais diferentão, em um trajeto pelo rio, de Santarém a Itaituba.

3. Lençóis Maranhenses, Barreirinhas, Maranhão

Dunas ou piscinas naturais? Na dúvida, escolha os dois. Não é à toa que os Lençóis Maranhenses são muito procurados pelos viajantes do nosso Brasilzão. Surreais, suas dunas são formadas pela força do vento e podem chegar a 40 metros de altura. A impressão é de estar em um deserto gigante com lagoas azuis formadas pela água das chuvas.

parques nacionais
A impressão de quem visita os Lençóis Maranhenses é de estar em um deserto gigante com lagoas azuis formadas pela água das chuvas.

Mesmo que os principais destaques daqui sejam as enormes dunas brancas, não podemos esquecer da natureza abençoada. Com uma área total de 156,5 mil hectares, a região dos Lençóis Maranhenses pertence ao cerrado, mas tem o seu cenário influenciado pela caatinga e a Amazônia.

Aproveite a visita ao parque para curtir alguns mergulhos nas águas refrescantes das dunas e também para sobrevoar esse cenário sensacional em passeios de monomotor. Não deixe ainda de passear de barco pelo rio Preguiças, um clássico da região. Uma sugestão para aqueles que desejam maior interação com as comunidades locais é passar a noite por aqui.

Ao planejar a sua visita aos Lençóis Maranhenses, tenha em mente que, de maio e agosto, você vai encontrar as lagoas bem cheias. Mas, a partir de setembro, suas lagoas já começam a secar. Já no chamado “auge do verão”, entre novembro e janeiro, a região sofre com a estiagem e, por isso, o nível das lagoas estará bem baixo.

O jeito mais fácil de chegar até os Lençóis Maranhenses é seguir para a cidade de Barreirinhas e contratar um passeio guiado até as dunas.

4. Chapada Diamantina, Lençóis, Bahia

Uma região de serra onde se escondem alguns dos cenários mais sensacionais do Brasil. Assim podemos definir o Parque Nacional da Chapada Diamantina, que fica em Lençóis, na Bahia. Atrações não faltam por aqui e o tédio vai passar bem longe de você.

Com vegetação única proporcionada pela caatinga semiárida, o turista vai encontrar também alguns dos pontos mais altos do Nordeste, como o pico do Barbado e o pico das Almas. Outros destaques da região são as cachoeiras com piscinas naturais de tirar o fôlego.

Não deixe de conhecer a cachoeira da Fumaça, que sempre é lembrada nos rankings das mais belas quedas d´água do país, e a cachoeira do Sossego. Essa última, como o próprio nome já diz, é perfeita para relaxar e curtir bons momentos pertinho da natureza.

Outro lugar que merece entrar no seu roteiro é o poço Azul, em Andaraí. Aqui, o turista vai flutuar, literalmente, em um poço cristalino que brota da caverna. Entre fevereiro e outubro, vale visitar o lugar das 13h30 às 14h30, horário em que os raios solares deixam a água ainda mais azul.

Além das cachoeiras, visite as grutas do parque, que não são poucas. A gruta da Pratinha tem água azul transparente perfeita para snorkel. Já a gruta Lapa Doce tem um paredão de 72 metros que cobre a sua entrada. Por último, a gruta Torrinha é uma das mais sensacionais do país, com seu teto todo forrado de estalactites.

O morro do Pai Inácio é o principal cartão-postal da região e um lugar excelente para conferir o pôr do sol. Esteja preparado para a subida até o topo do morro. Mas o esforço é compensado pela bela vista de cima da chapada.

parques nacionais
O morro do Pai Inácio é o principal cartão-postal da região e um lugar excelente para conferir o pôr do sol.

Amantes de esportes radicais vão curtir ainda atrações como a tirolesa e o rapel no poço do Diabo.

A época de seca na região vai de abril a outubro. Já, de novembro a março, há um maior volume de chuvas.

Dá para ir até a chapada de avião. A Azul tem voos até Lençóis saindo de Salvador, Confins e de São Paulo. Também é possível ir de ônibus, a partir de várias cidades baianas.

5. Cataratas do Iguaçu, Foz do Iguaçu, Paraná

O Parque Nacional do Iguaçu fica bem na divisa entre o Brasil e a Argentina, sendo uma experiência única para quem busca ver de perto quedas d´água de outro mundo.

parques nacionais
O Parque Nacional do Iguaçu fica bem na divisa entre o Brasil e a Argentina.

No total, o parque é composto por 275 cataratas, em uma área de 250 mil hectares de floresta subtropical (185 mil hectares estão do lado brasileiro). Aqui, está a maior área de Mata Atlântica do sul do país. Ou seja, prepare-se para ficar cara a cara com uma biodiversidade de fauna e de flora de dar inveja.

Patrimônio Natural da Humanidade pela Unesco, um dos destaques do lugar é a chamada “Garganta do Diabo”, a mais impressionante das cataratas do parque. A cachoeira, em formato de U, tem 82 metros de altura, 150 metros de largura e 700 metros de comprimento, e deixa os visitantes boquiabertos. As cataratas ficam abertas para a visitação ao longo de todo ano, mas no verão o seu volume de água consegue ser ainda maior e mais exuberante.

Aqui, admirar a força das águas não é o único atrativo para o turista. É possível fazer passeios de bote, trilhas a pé ou de bike pela mata e ainda sobrevoar as cataratas de helicóptero para ter uma visão diferente de cima. Para quem está com crianças ou gosta de passeios menos radicais, a boa pedida é conhecer o parque das Aves.

E aí, já escolheu qual o próximo parque nacional que você vai visitar? Conte para a gente!

Hoteis.com

Adicionar Comentário

Hoteis.com em todo lugar!

Siga a Hoteis.com em todas as redes sociais

Tem um blog e quer fazer uma parceria com a hoteis.com? Escreva pra gente :-)
E-mail: hoteis.com@jeffreygroup.com