BlogHoteis.com

Intercâmbio na Austrália, Nova Zelândia ou Malta

Intercâmbio: Saia do conforto do lar e busque uma experiência inédita em outro país.

Com tantas mudanças nos relacionamentos entre as pessoas e com o evento da globalização, o inglês passou a ser fundamental tanto para a vida como para o mercado de trabalho. A melhor maneira de aprender é “caindo no fogo”, ou seja, indo para um local onde a língua inglesa seja a primeiro idioma. Para mostrar que é possível unir paisagens lindas e estudo do idioma, separamos 3 lugares incríveis para você fazer seu intercâmbio.

A Austrália é uma excelente opção para os viciados em natureza

O paraíso com mais de 10 mil praias oferece fenômenos naturais que deixam qualquer um de queixo caído. No lago bioluminescente é possível contemplar o fenômeno de algas que produzem incrível luz azulada. O evento é de uma beleza inexplicável. E se você acha que acabou por aí, acredite, a Austrália reserva muito mais! Um lago cor-de-rosa chiclete, Lago Hillier, que parece de mentira, fica no Middle Island, no arquipélago de Recherche, na porção ocidental do país e, por mais que pareça, não é photoshop.

Agora, um evento da Austrália que é lindíssimo e encanta a todos é a Aurora Australis. Todos já ouviram falar da Aurora do norte, a Borealis, mas a do sul pode ser novidade. Formada por partículas do sol em contato com a atmosfera terrena, o evento colore o céu e pode ser observado a olho nu. Com certeza, o contato com esse fenômeno ficará marcado para sempre.

Mas a natureza tem sempre 2 lados, o continente apresenta alguns bichinhos poderosos em seus venenos. As aranhas australianas, por exemplo, são consideradas as mais perigosas do mundo, bem como alguns tipos de água viva. Mas é só tomar cuidado e aproveitar as maravilhas oferecidas pelo país.

O Lago Hillier é uma surpresa incrível que você só encontra na Austrália

Documentação e custo de vida

Atenção: para ir à Austrália é necessário ter visto, dólar australiano e vacina em dia!

Para adentrar o país, é preciso de visto, que, para o caso do intercâmbio, é a versão estudante. Todas as instituições de ensino do local são obrigadas a aceitar estrangeiros, portanto, não há dificuldade em conseguir algo por lá. Outra coisa importante, é que os vistos de estudante permitem trabalho legal até 40 horas quinzenais, para tanto, é preciso da autorização do Departamento de Imigração na Austrália (DIMIA).

Sobre a moeda, estamos falando do dólar australiano, que é 2 vezes e meia maior que o Real. A dica é que, quanto mais próximo da capital, Sydney, mais caro fica o custo de vida. Para os pequenos bolsos, vale pesquisar o entorno da cidade.

Tenha a vacina de febre-amarela em dia! O país pede para que a dose tenha sido aplicada, no mínimo, 10 dias antes da viagem e é preciso comprovar o ato. Aproveite e fique de olho na validade do passaporte, o mínimo tolerável são 6 meses.

Entre no clima:

São 2 tipos de clima no país: Parte dele é tropical e parte dele é temperado. Entretanto, devido à extensão do território australiano, há variações. As regiões temperadas têm as 4 estações, enquanto a zona tropical tem duas (verão úmido e inverno seco) e as temperaturas costumam ser amenas.

De cenário do Senhor dos Anéis ao esporte radical

A Nova Zelândia tem sido cada vez mais procurada e é uma ótima opção para intercâmbios que estão fora dos tradicionais roteiros. Por ser um país insular e mais isolado, o local desenvolveu uma fauna especial e única, logo, é de se esperar que as paisagens do país encham os olhos e tragam experiências que seguirão com as pessoas pelo resto da vida.

Auckland, a maior cidade da Nova Zelândia é moderna, muito limpa e bastante segura, uma excelente opção para ficar no “fervo” durante o período do intercâmbio. E as vantagens não param por aí, a Nova Zelândia, apesar da natureza abundante, é bastante desenvolvida e industrializada. Isso faz com que os aspectos como educação, saúde e qualidade de vida se destaquem no continente, é um lugar bastante seguro para a experiência do período de troca cultural.

Por ter praticamente todas as cidades com qualidade para habitação, o país se torna excelente opção para um intercâmbio que cabe em diferentes bolsos, lembrando que, quanto mais próximo da capital, tal qual a Austrália, mais caro fica.

Auckland é uma cidade super moderna, desenvolvida e com muito agito

Custo de vida e documentos necessários

Estudantes que vão fazer cursos com até 3 meses de duração, não precisam de visto. O mesmo será concedido no país após a apresentação de todos os documentos. Se o seu curso tem maior permanência, o visto é fundamental e deve ser retirado no consulado. Vale destacar que o passaporte deve ter validade de no mínimo 3 meses após o retorno do país, e que exames médicos serão solicitados.

Sobre trabalho: se você está dentro das características abaixo, saiba que a permissão para trabalhar no país é automática. Mínimo de 20 horas de estudo por semana, com duração superior a 14 semanas. A regra vale para os cursos vinculados às escolas chanceladas pela NZQA (New Zealand Qualifications Authority) como de Categoria 1, consideradas as principais instituições do país.

Falando de dinheiro…

O custo de vida na Nova Zelândia é, sem dúvida, alto para os brasileiros. Para comprar 1 dólar neozelandes, é preciso de, aproximadamente, 2,4 reais.

Além disso, o entretenimento no país é salgado, até porque tudo foi criado com os olhos no turismo e nas experiências únicas, o que sempre tem seu preço. Portanto, pesquise e planeje bem o que vai fazer versus as suas possibilidades financeiras.

O clima do país

A temperatura média da Nova Zelândia diminui conforme você viaja para o sul. Como no Brasil, Janeiro e fevereiro são os meses mais quentes e julho é o mês mais frio do ano. No verão, a média das faixas de temperatura máxima varia entre 20 a 30ºC e no inverno entre 10 a 15 ºC.

Uma ilha mediterrânea que fala inglês

Malta é um arquipélago que fica entre o sul da Itália e o norte da África e mesmo com diferentes influências culturais, é possível estudar inglês. O continente, colonizado pelo Reino Unido usa a língua como co-oficial e nesse caso, quanto mais perto da capital, maiores as chances de estudar o idioma, já que os nativos usam o maltês para se comunicar.

Por fazer parte da comunidade européia, a moeda corrente é o Euro, o que significa algo 3 a 4 vezes maior que o Real.

Mas como estudar inglês se não é a língua local?

Se você tem esse propósito, é preciso se esforçar um pouco para ter contato com a língua. Os canais televisivos locais não promovem a imersão, logo, é preciso contratar canais de outros países onde o inglês é a língua oficial. Jornais e revistas são encontrados também nos dois idiomas, escolha sempre o inglês e use e abuse da linda biblioteca de Malta que oferece livros incríveis e históricos da cidade na língua de interesse. Outra recomendação, é participar de grupos com estudantes que têm o mesmo propósito, para que o treino da conversação, escrita e leitura sejam praticados na maior parte do tempo.

Por se tratar de um local cheio de praias, o estudante conta com passeios que cabem no bolso, já que as praias são públicas. Além disso, a noite é bastante agitada e ótima para quem gosta de baladas.

Vista da igreja de Nossa Senhora do Monte Carmelo e a Catedral anglicana de São Paulo, em Valletta, capital de Malta

É possível estudar e trabalhar em Malta?

Diferente da Austrália e da Nova Zelândia, Malta não incentiva estudantes a trabalharem no país.

Sobre visto, as regras são: para cursos com duração menor do que 12 semanas não há necessidade da autorização. Na chegada, é concedido o visto de turista. Para períodos maiores, é preciso entrar com a solicitação no consulado. Caso você tenha passaporte com alguma cidadania da comunidade européia, é possível solicitar autorização de trabalho para estrangeiros.

O clima de Malta

Pode parecer com o Brasil, mas não é. No calor (verão) a temperatura chega próxima dos 40°C, mas diferente de algumas regiões brasileiras, a temporada de chuvas acontece no inverno. A média do ano em Malta fica em torno de 24°C o que é considerado bastante agradável para quem está acostumado com o Brasil.

Hotéis que cabem no bolso dos estudantes

Austrália

Para quem quer se hospedar em hotéis mais baratos em Sidney , selecionamos opções para todos os gostos. Se a preferência é ficar na cidade de Melbourne, há uma série de hotéis possíveis aqui.

Nova Zelândia

Se o destino do intercâmbio é Auckland, vale conhecer as possibilidades de hotéis econômicos disponíveis. Quer ficar em Wellington, conheça as melhores ofertas.

Malta

A paradisíaca ilha oferece opções para todos os perfis de estudantes e separamos uma seleção de hotéis com ótimo custo/benefício.

Na Hoteis.com a hospedagem do seu intercâmbio pode ser feita em até 12 x sem juros! Já estudou inglês em um desses lugares? Deixe suas dicas em nossos comentários!

Hoteis.com

Adicionar Comentário

Hoteis.com em todo lugar!

Siga a Hoteis.com em todas as redes sociais

Tem um blog e quer fazer uma parceria com a hoteis.com? Escreva pra gente :-)
E-mail: hoteis.com@jeffreygroup.com