BlogHoteis.com

O que fazer e conhecer em Dublin, na Irlanda

Dublin é “O” lugar para quem não quer ficar parado e buscar energia jovem
Muito mais do que pubs, o som da banda U2 e a cerveja Guinness, Dublin é um destino jovem que não se esquece do seu passado. Não é à toa que a capital da República da Irlanda é um dos lugares mais procurados por turistas descolados. Hoje, vamos falar sobre os principais pontos turísticos e o que você deve fazer e conhecer em Dublin.

Com uma lista bem grande de atrações, é impossível ficar entediado nessa cidade que, mesmo sendo uma das mais antigas da Europa, não parou no tempo e mantém, sem muito esforço, um ar jovem. E nem precisamos comentar que esse mesmo ar jovem conquista até mesmo os turistas mais exigentes.

Aqui, as atividades se dividem entre tomar uma cerveja local em um dos vários pubs e visitar prédios como o Trinity College e construções georgianas. Numa passada pela cidade, vale a pena colocar no roteiro lugares como as falésias de Moher, que ficam a poucas horas de distância.

Não deixe de conhecer em sua viagem a Irlanda as falésias de Moher.

Está com tempo de sobra? Dê uma esticada até Belfast, capital da Irlanda do Norte, para aproveitar as várias opções de passeios. Dublin e Belfast ficam a duas horas de distância de trem uma da outra.

Para hospedagem, confira as opções de lugares disponíveis na Hoteis.com. No site, dá para encontrar acomodações para vários orçamentos e pagar em até 12 vezes sem juros e sem taxas.

Agora, bora ver nossas as dicas sobre Dublin?

Com vibe jovem, Dublin é destino para todas as tribos
Sim, Dublin é um destino para todas as idades e gostos. Os passeios reúnem atrações culturais e boas opções de entretenimento. E, com certeza, o tédio vai passar bem longe de você durante a sua visita ao destino. Com tantos lugares para ver e conhecer, a pergunta é: quantos dias eu preciso para conhecer a cidade? Bem, se seu objetivo é conhecer pelo menos os lugares mais clássicos, você vai precisar de três dias inteiros em Dublin.

Começando pelos lugares mais clássicos, visite o “coração espiritual” de Dublin. A Catedral da Santíssima Trindade (ou Christ Church Cathedral, como preferir) possui um interior lindíssimo e guarda muita história. Fundada em 1028, foi ponto de peregrinação durante o período medieval e abriga atualmente a estrutura mais antiga da cidade: a cripta medieval. Outros objetos interessantes abertos para a visitação são um pedaço do berço de Jesus Cristo e as múmias de um gato e de um rato, chamados pelos locais de Tom & Jerry.

A Christ Church Cathedral é a igreja mais importante da Irlanda.

Já a St. Patrick’s Cathedral é dedicada ao padroeiro da Irlanda e também figura entre as top atrações da cidade. A igreja, que foi erguida no lugar onde acreditam ser o ponto onde o santo batizava seus fiéis, é bem bonita por fora e por dentro. E em seu interior estão várias relíquias, além de túmulos onde estão sepultadas algumas personalidades da história do país. Em uma visita à Catedral de São Patrício, os turistas podem visitar o túmulo de John Swift, autor de “As viagens de Gulliver”, e ver de pertinho a sua máscara mortuária e uma estante com trabalhos importantes escritos por ele.

Também de importância histórica, a Trinity College faz parte dos programas mais clássicos na Irlanda. Pela universidade, fundada em 1592, passaram alunos famosos como Wilde, Beckett e o próprio Swift. Em sua biblioteca, os visitantes podem ficar frente a frente com o Livro de Kells, manuscrito de 680 páginas escrito por monges locais por volta de 800 a.C.

Outra atração para quem curte história: o Museu Nacional de Arqueologia da Irlanda conta com vários objetos arqueológicos que datam de 7000 a.C. até o século 20. Fique atento ao cálice Ardagh, que compõe o acervo de arte céltica e medieval; os corpos embalsamados, da área Kingship and Sacrifice; e uma coleção de ouro impressionante.

De cara, pode parecer meio mórbido, mas vale a pena incluir no roteiro uma caminhada pelo Glasnevin Cemetery. Inaugurado em 1928, aqui estão enterrados mais de um milhão de pessoas que ajudaram a construir a cidade como a conhecemos hoje. Conta também com um museu bem interessante, onde é possível aprender um pouco mais sobre a história da região e se aprofundar nas práticas religiosas do lugar.

Está afim de dar uma caminhada e conhecer um clássico da cidade? Explore a pé a Grafton Street, uma das ruas mais famosas de Dublin. Aqui, o turista encontra lojas, cafés, bares, livrarias e prédios históricos, além dos tradicionais artistas de rua. A região é uma boa pedida para se hospedar, uma vez que está bem próxima das principais atrações.

A super movimentada O´Connell Street também é um ponto de referência em Dublin. Com monumentos e estátuas, a rua tem boas opções de entretenimento e de compras. O legal é caminhar sem pressa e observar a arquitetura irlandesa. O passeio completo a pé, de uma ponta a outra, demora uns 20 minutos. Além das construções, o destaque é o monumento dedicado a Daniel O´Connell. A Espiral de Dublin, também conhecida como Monumento da Luz, é a escultura mais alta do planeta. Vale visitar a O´Connell no período da noite, quando rende boas fotos.

Uma das cervejarias mais conhecidas do mundo tem a sua sede instalada em Dublin. Se você pensou na Guinness Storehouse, acertou. A cervejaria fica em um prédio de sete andares com formato de uma pint de chopp gigante da Guinness cheio de instalações modernas e interativas. Para quem não sabe, pint é uma unidade de medida métrica de volume, que equivale a cerca de 0,665 litros.

Mas, voltando ao assunto, na Guinness Storehouse o turista vai aprender tudo sobre a cerveja mais amada pelos irlandeses e que está presente no preparo de pratos típicos, como o ensopado de carne bovina, mexilhões e pães. A marca já acumula mais de 250 anos de história, sendo um ponto turístico obrigatório nos roteiros de viagem a Dublin. Não perca o tour às instalações da atração número 1 da cidade.

Prefere um bom whisky a uma taça de cerveja? Dublin tem uma atração dedicada a você: a Old Jameson Distillery também oferece visitas guiadas por um ambiente que recria uma antiga destilaria. No passeio, o turista vai conhecer mais sobre o sucesso da marca criada por John Jameson, em 1780, e se aprofundar no processo de produção dessa bebida tão apreciada na Irlanda.

Uma visita a Dublin não ficaria completa sem você conhecer um pub. Aqui, o número 1 é o The Temple Bar. A fórmula do sucesso? Com ambiente tradicional e música irlandesa, a casa tem em seu menu várias marcas de cervejas, mais de 500 variações de whisky e pratos da gastronomia local.

O The Temple Bar é considerado o melhor pub da Irlanda.

Fãs do U2 costumam pirar no antigo endereço dos estúdios Windmill Lane. O lugar, além de ter sido palco para a gravação de grandes sucessos da banda liderada por Bono Vox, conta com suas paredes externas todas grafitadas e com mensagens. Se você curte a banda, não perca essa oportunidade.

Curiosamente, um dos pontos turísticos mais visitados da Irlanda não fica em Dublin, mas a cerca de duas horas de distância. As falésias de Moher, que parecem ser cenários de filme, percorrem o Oceano Atlântico por 8 km e, em seu ponto mais alto, chegam a 214 metros.

Aqui, dá para admirar a Torre de O´Brien, ponto de observação construído em 1853. Além das ilhas de Aron e da Baía de Galway, em dias com tempo bom, o visitante poderá avistar golfinhos e focas. Imperdível, não?

Moeda, língua, etc.: o que você precisa saber antes de visitar Dublin

  • A moeda utilizada em Dublin é o euro;
  • Fique atento: em Belfast, a moeda é a libra esterlina;
  • A ilha da Irlanda é dividida em República da Irlanda, que tem Dublin como capital, e Irlanda do Norte, com Belfast como capital;
  • Há duas línguas oficiais: o irlandês (também conhecido como gaélico) e o inglês;
  • Mesmo com transporte público eficiente, esteja preparado para caminhar: é bem fácil andar pela cidade;
  • Para entrar no país, você precisa ter passaporte com validade de seis meses;
  • Na entrada, a fiscalização pode solicitar documentos como comprovante de reserva de hotéis, passagens de volta ao Brasil e o comprovante de contratação do seguro saúde. É comum ter que comprovar se sua viagem é para turismo, visita a amigos ou parentes, ou ainda negócios;
  • Não é preciso de visto para entrar no país;
  • Não é preciso tomar nenhuma vacina para viajar para a Irlanda;
  • Se você pretende visitar pontos fora cidade, como as Falésias de Moher, por exemplo, considere alugar um carro. Para ir somente a lugares na própria cidade, não vale a pena pagar pelo serviço.

Curtiu as nossas dicas? Esperamos que elas sejam úteis e que você aproveite muito sua viagem a um dos países mais efervescentes da Europa.

Hoteis.com

Adicionar Comentário

Hoteis.com em todo lugar!

Siga a Hoteis.com em todas as redes sociais

Tem um blog e quer fazer uma parceria com a hoteis.com? Escreva pra gente :-)
E-mail: hoteis.com@jeffreygroup.com